O PROJETO

Acreditamos que todo o projeto seja ele acadêmico, artístico, empresarial ou de vida começa com um título, um nome que traz consigo sua identidade...

 

ADIANTES é o nosso!

 

Esta palavra tem diferentes sentidos e forte ligação com nosso momento de vida.

Sem_título-removebg-preview (1).png

       

          adiantes

 

  advérbio adaptado e/ou inventado.

 

     1. aqueles que seguem em frente;

     2. uma ideia que já havia sido pensada no passado (“A de antes”);

     3. adiantar-se no processo, realizar algo antes de envelhecer.

 

ADIANTES (4).jpg
My-Stop-Motion-Movie.gif

PROPÓSITO

DESCOBRIR

1. vivenciar situações novas,

presenciar fatos inéditos

A VIDA

1. povos, animais e cultivos 

2. nossa própria existência 

POR TERRA

1. acessar por estrada

2. no planeta em que vivemos

QUEM SOMOS

IMG_5266.JPG

Maíra Vela Reis

  • Médica Veterinária

  • Santo André/SP

  • Viagem mais marcante: Tailândia/2019

  • Características marcantes: apertar todos os cães e gatos que encontra pela estrada, tomar café e demorar horas para conseguir ficar satisfeita com uma fotografia.

WhatsApp Image 2020-08-16 at 21.44.41 (1

Lucas Stamato Sampaio

  • Engenheiro Agrônomo

  • São Paulo/SP

  • Viagem mais marcante: Japão/2013

  • Características marcantes: correr atrás dos animais em movimento para tirar fotos, comer todo o tipo de fruta que houver e acompanhar a temperatura da água do motor. 

  • Ícone cinza LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Facebook

I’m a paragraph. Double click me or click Edit Text, it's easy.

 

Escolhemos transformar nosso estilo de vida para nos encontrar dentro de nós mesmos.

Mudamos para o mundo e o mundo tem nos mudado

Embarcamos em uma nova aventura, eu diria ambiciosa, em nossas vidas:

nos tornarmos genuinamente pessoas melhores

HISTÓRIA

A história do Adiantes se inicia lá em 2012, quando começamos a namorar. Dali para frente parece que tudo aconteceria para que, um dia, tirássemos esse plano do papel.

Sempre fomos apaixonados por viagens, e nossas conversas eram sempre em torno dos lugares que gostaríamos de conhecer um dia. Qualquer tempo que tínhamos livre, já nos organizávamos para algumas escapadas por perto ou, de preferência, distantes.
Em 2016 fomos morar juntos - mas as vidas profissionais nos mantinham longe, mesmo morando sob o mesmo teto.
Lucas viajando durante a semana, Maíra ocupada com a pós graduação e os plantões aos fins de semana.

 

Em 2018, nos casamos!

         Para nossa lua de mel escolhemos viajar para o Sudeste asiático. A cultura, a culinária, as paisagens, era tudo tão diferente do que éramos habituados que nos encantou profundamente e aumentou ainda mais a vontade de explorar esse mundo. 

Foi talvez a primeira viagem que tivemos que planejar com mais critério e cuidado já que, além de ser a mais longa, também exigia contratação de diversos voos por diferentes países, tranfers em aeroportos, hotéis de distintos padrões e passeios com pré agendamento.  

Voltamos com outra cabeça e matutando como poderíamos viver tudo aquilo de forma mais intensa e contínua.

Porém, mais uma vez, caímos na rotina e deixamos essa vontade esquecida nas entrelinhas. Conversávamos sobre planos futuros - casa, filhos, trabalho e aposentadoria. E foi ali, entre cafés da manhã e conversas filosóficas, que percebemos que era hora de vivermos o que tínhamos vontade, e que nosso sonho de futuro poderia simplesmente não acontecer.

Fizemos nossas contas, estudamos um plano e em menos de um mês havíamos comprado o carro que se tornaria nossa casa.

 

Resolvemos o que era necessário em nossos respectivos empregos e então o plano começou a sair do papel.

2020 era o ano da mudança!

O ano que iniciou com tantos planos parecia promissor. Em janeiro levamos o Figueiredo para transformação, em fevereiro deixamos nossos empregos e em março devolvemos nossa casa e vendemos/doamos parte dos nossos pertences. O objetivo era buscarmos nossa nova casa itinerante em abril para iniciarmos nossa jornada já no dia 04 de maio.

Tanta expectativa que viria a ser duramente impactada por um mesmo "ser invisível" que atingiria de forma tão triste o mundo inteiro.  O jeito era mudarmos e esperarmos.

Agora sem casa fixa, foram meses isolados entre nossas famílias, aguardando o cenário da pandemia melhorar. Buscamos o carro em maio e, no mês seguinte, iniciamos viagens curtas pela região Sudeste afim de testar nossa nova casa e nos adaptarmos a ela.

 

Enquanto a pandemia se alastrava, nos vimos com duas alternativas: desistir de tudo e voltar para a rotina

ou seguir adiante.

Bom... a nossa decisão vocês já sabem.

LINHA DO TEMPO