VOCÊ NÃO PODE FICAR AQUI! PRECISO QUE SAIA...

Atualizado: Jun 21

Desde que iniciamos a expedição à bordo de nossa casa itinerante não me recordo de outra época em que fomos tantas vezes "convidados a nos retirar" dos lugares.


Talvez nem mesmo nos anos de adolescência, quando tentamos por algumas vezes testar os limites da paciência de vizinhos, professores e outras autoridades.

De qualquer forma, em todas essas fases anteriores de nossas vidas, sabíamos que ao final do dia certamente encontraríamos um lugar familiar e seguro para nos acolher


A maior complicação nessa situações é a falta de comunicação. Quando chegamos ao local nem sempre temos a certeza se realmente poderemos ou não ficar e quase nunca conseguimos contato com qualquer pessoa ao redor.


Se sentirmos que a chance é quase zero de alguém se incomodar, nos instalamos.


Mas afinal, podemos simplesmente parar e dormir em qualquer local?


Acredito que se perguntarmos isso para diferentes viajantes que conhecem o mundo em carros, caminhões, ônibus, bicicletas, veleiros ou a pé, a resposta será muito distinta e talvez até oposta.


Primeiramente porque cada um conta com um conjunto de equipamentos próprios para suas jornadas, assim como costumam trafegar por vias muito diferentes

Uma família que viaja de veleiro, por exemplo, necessariamente contará com uma estrutura básica para dormir e comer, já que, até onde entendo, não existem muitas opções de restaurantes e hotéis em pleno mar aberto. Ou seja, a princípio, podem descansar e se alimentar em qualquer local durante seus roteiros sem problemas de alguém "achar ruim".


Quando os deslocamentos são por terra as circunstâncias já mudam. Um casal de bicicleta, por outro lado, pode ter dificuldade em carregar todo o aparato necessário na "garupa" e, por isso, não pode ficar muitos dias sem acesso a uma cidade com água, comida, cama ou energia. E quando chegarem até estes pontos de apoio, será que encontrão uma área ideal para se acomodarem?



Em nosso caso, temos alguns itens embarcados que permitem certa autonomia em lugares ermos, porém nem sempre sabemos ao certo se um dado local permite estacionarmos, comermos, dormirmos, ou nenhuma das opções anteriores.


Quando partimos para pequenas cidades no interior ou locais próximos às unidades de conservação (parques e reservas) com acesso somente por estradas de ter