DESTINO: RIO SÃO FRANCISCO (PARTE II)

Atualizado: Jun 21

Completar esta travessia ao lado do maior rio 100% brasileiro tornou-se nossa primeira grande conquista dentro dos roteiros que havíamos desenhado anos atrás.


Por isso mesmo, merece um capítulo duplo por aqui !!!


Assim que deixamos o estado de Minas Gerais e adentramos na região Nordeste fomos literalmente abençoados em Bom Jesus da Lapa/BA na gruta que também leva nome de santuário e é repleta de grandes saguões abertos nas rochas com oferendas, santos e altares para celebrações.


O caminho estava aberto para seguirmos adiante já em solo baiano


Propriamente protegidos, nos sentimos totalmente confortáveis para dormir em um camping selvagem (sem energia, banheiros e restaurantes) naquele mesmo dia.


Estacionamos em uma área rural da cidade de Ibotirama/BA com acesso somente por estrada de chão batido onde ficamos protegidos pela vegetação que acompanhava o barranco do rio.


Mantínhamos a estratégia de pegar estrada aos finais de semana e visitar as atrações turísticas (principalmente as mais procuradas) de segunda à sexta

Como era simplesmente impossível "passar reto" por lugares tão incríveis fora do leito do Velho Chico, desviamos duas vezes de rota neste período.

Estivemos em Mucugê/BA na Chapada Diamantina e em São Raimundo Nonato/PI na Serra da Capivara.



Mas o São Francisco ainda reservava para nós outras facetas como seu lado misterioso e folclórico. Isso ficou evidente em nossa passagem pela Ilha do Miradouro em Xique-Xique/BA quando pernoitamos na frente da Igreja de Santana.


Assim que chegamos, os moradores fizeram questão de contar detalhes sobre a "Lenda da serpente" que vivia logo abaixo dos alicerces da igreja e aparecia de tempos em tempos para todos os que viviam na ilha.


Depois disso, quem dorme tranquilo ao ar livre?