top of page

AS VIAS ABERTAS DA AMÉRICA LATINA

Depois de quase 500 dias vividos pelas estradas brasileiras costurando caminhos por 23 estados nacionais diferentes, chegou o momento de descobrimos outras rutas sul-americanas.


Nada mais natural do que começamos pelos hermanos argentinos, não é?



Chegamos em mais um país de grandes extensões, diferentes cenários e longas rodovias.


E como os nossos vizinhos “escolheram a dedo” os lugares para a construção de suas estradas.


A Ruta 40, Ruta 3 e Ruta 25 por exemplo são verdadeiras vitrines das belezas regionais.


Mas vamos começar pelo começo...


Atravessamos a fronteira Brasil-Argentina no dia 16/12/2021 em uma empreitada com um objetivo bem claro: chegarmos até a Cordilheira dos Andes em 6 dias para comemorarmos o Natal.


Ahhhh...só para registrar: isso são mais de 3.000 quilômetros, já que saímos de Puerto Iguazu e só paramos de vez em San Martin de Los Andes

Mais uns poucos quilômetros e já poderíamos estar atravessando para o Chile ou até atingindo o Oceano Pacífico.


Nosso caminho cruzou exatas 7 províncias argentinas:


1. MISIONES

2. CORRIENTES

3. ENTRE RIOS

4. SANTA FÉ

5. BUENOS AIRES

6. LA PAMPA

7. NEUQUÉN


O calor era impiedoso, principalmente nas regiões mais ao norte e próximas ao Paraguai.


Acompanhamos por dias as mesmas rodovias nacionais que em certos trechos margeavam majestosos rios que definiram diretamente a nossa rota.


O Rio Paraná foi, sem dúvida, o mais marcante.


Nos levou diretamente até a primeira cidade grande e uma das mais conhecidas do país: Rosário



O calor realmente não dava trégua em pleno Dezembro, mas pelo menos tínhamos certo refresco nos famosos gelatos da cidade.


O sabor Pistacchio é o grande astro das muitas sorveterias espalhadas por Rosário.


O clima universitário, as ruas arborizadas mesmo nos bairros mais movimentados e as belas praças nos chamaram muito a atenção nesta passagem rápida de 2 dias pela cidade.


O Parque da Independência talvez seja o ponto alto de um passeio a pé em um dia ensolarado.



Depois de dias olhando o Rio Paraná, claro que a vontade de mergulhar completamente na água era intensa.


Mas ao invés de um banho refrescante de rio, surgiu em nosso roteiro uma laguna de águas muito próprias.


Não era mais rio, nem doce era aquela água.


Estávamos frente a frente ao Mar Morto argentino na Vila de Epecuén, província de Buenos Aires.


A concentração de sal é tão alta na região que seu corpo simplesmente não afunda de jeito algum.


Cuidado para não se empolgar como nós e mergulhar literalmente de cabeça nessa atração.


Quase 2/3 de nossa empreitada já estava completa, então tratamos de acelerar o passo até o nosso grande objetivo patagônico: San Martin de Los Andes.


Dois dias antes das festividades natalina lá estávamos nós aos pés da Cordilheira do Andes, símbolo máximo da patagônia e talvez de toda a América do Sul.


Para quem estava há menos de 2 meses no Pará, até que foi uma jornada e tanto.


Chegávamos também naquele momento até a lendária Ruta 40 argentina.


Foram tantos os caminhos que fizemos a partir dali lado a lado a cordilheira do Andes e depois beirando o Oceano Atlântico nos mais de 3000 quilômetros que separam Buenos Aires do Ushuaia pela Ruta 3 que mereceram todo um material exclusivo.


CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA SEGUIR NESSA AVENTURA PELA ARGENTINA CONOSCO!!!



115 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page